Estamos de volta...

Olá, Pessoal! Tudo certinho?
Estávamos morrendo de saudades, mas precisamos tirar umas férias forçadas no CLPV.

As novidades são incríveis! O Clube publicou um livro com textos, contos, crônicas, poesias e aforismos de todos os membros presentes ou que já fizeram parte de nossa história.
O lançamento foi no dia 10 de outubro na 3º edição da FLIVA (Feira Literária de Valença).
Foi um momento lindo, onde fizemos um sarau muito emocionante e encerramos com um cordel, escrito por Elayne Amorim, que conta toda a trajetória do Palavras ao Vento. Para completar nossa felicidade, o Clube recebeu um prêmio na FLIVA.



Antes disso, no dia 28 de Setembro, participamos de um outro Sarau no Jardim de Cima, em comemoração ao aniversário de Valença.
E com essa correria toda conseguimos voltar agora, renovados e cheios de energia, cumprindo nosso papel e realizando nossos sonhos através das palavras.

Como estamos sempre nos adaptando, decidimos fazer um novo formato para nosso Clube. Sentimo-nos amadurecidos e com potencial para nos expandir e ousamos ampliar nossos recursos para produzirmos e reproduzirmos cultura. Por isso, agora estamos divididos em Ligas que serão as seguintes:
Liga Literatura e Poesia;
Liga de Filosofia;
Liga de Cinema;
Liga Juvenil;
Liga dos Escritores.

As postagens no Blog seguem o seguinte cronograma:
Quinta: Liga Juvenil
Sexta: Liga Literatura e Poesia
Sábado: Liga Cinema
Domingo: Liga Filosofia
Segunda: Liga dos Escritores

Espero que gostem do nosso novo formato. Deixo um gostinho do que foram essas semanas que pareciam férias, mas na verdade foram de trabalho árduo.












Breve história do Clube Literário Palavras ao Vento

Foi no dia dois de agosto
Um grupo desconhecido
No ano dois mil e catorze
Pessoal amante de livro
Decidiram se encontrar
Adentrar o mundo escrito

De início a última música
Foi o primeiro dos livros
Que começou a esquentar
O que seria discutido
Um romance a revelar
Tudo o que estava escondido

Palavras vo’aram ao vento
E encontraram corações
Que estavam também dispersos
Unindo suas solidões
Foi então que perceberam
Tinham muito mais razões

Para que se reunissem
Quanta carência que havia
Que vontade de falar
Necessidade de poesia
Espalhar aos quatro cantos
Literatura, arte e magia

E nesses tempos extremos
Difundir muita cultura
Lua, violão e poesia
Mergulhar em aventura
Neste oceano sem fim
Feito de literatura

Ao ar livre se emocionar
Sentimentos no papel
Palavras soltas ao vento
Encadeamento em cordel
Encontrando corações
Presente que vem do céu!

E enquanto os homens dormem
Juntos na tribo do amor
Duas verdades, uma vida
Dia a dia, sonhos e terror
Subimos a montanha Zoe
Caminho de espinho e flor

Lea Pentagna acolhedora
Viagens feitas no tempo
Nestes teus belos jardins
Saraus, debates, eventos
Músicas, livros, poemas
Mil gostos e sentimentos

Esse lance de poesia
Há quem diga que é loucura
E também perda de tempo
Livro, arte e cultura.
Eu digo mais sério ainda:
Um país não chega à altura

De amplo desenvolvimento
Se deixa tão esquecida
A palavra e sua gente
Quando não se valoriza
A sua riqueza humana
Tanta arte já produzida.

Na trilha dos livros

Do fundo coração
Tá difícil arrumar rima
Quase desastre iminente!
Boas mulheres da China,
Me ajudem nessa métrica
Fazer poesia é sina!

Quase um castelo de vidro
Sou poeta de verso livre
Perdoem-me a simplicidade!
Retorno do jovem príncipe
Bem no dia do Curinga
Malucada eu quase estive!

Há vantagem em ser invisível?
Ensaio sobre a cegueira
Nesta ilha sob o mar
Céu infinito, Terra inteira
Simplesmente Ana e Brett
Bate a peste da canseira!

Mas sim! Podemos vencê-la
Se insistirmos todo dia
E com um vestido de noiva
Também faz-se poesia
Me meti fazer cordel
E me deu muita alegria!

Porque a arte de rimar
É uma de minhas paixões
E é trabalho difícil,
Mas num mundo de ilusões
Basta só acreditar
E fazemos traduções!

Enquanto hoje...

O Clube está se reunindo
Ao mundo poetizando
Seja no frio juntinho
Mesmo no sol escaldando
Tantos colaboradores
Até livro anda lançando

Pra além dos muros da cidade
Nossos debates crescendo
Levando sarau literário
Mesmo co’as pernas tremendo
Na hora não dá pra fugir
Nem mesmo sair correndo

Depois que tudo é só verso
Vencemos a timidez
Dá aquele frio na barriga
Que vou contar pra vocês!
Mas é bom que lá no palco
Perdemos a lucidez

Eu já vou me despedir
Já disse, não sei rimar
Mas também eu sou teimosa
Tenho história pra contar
Deste Clube Literário
No papel não caberá

Quem quiser participar
Se sinta bem convidado
Arte, livro e poesia
Basta só fazer um contato
Precisamos com urgência
De um mundo poetizado!
Elayne Amorim











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde