Dica de leitura: Só Gosto de Cara Errado - Laura Conrado

Sinopse: O bem-sucedido livro Freud, me tira dessa! Agora aborda, com o mesmo bom humor, o universo adolescente. Ela sonhava em encontrar um príncipe, mas só achava sapos. E aí, Freud, dá para tirá-la dessa? Priscila é uma garota que tem tudo para estar com alguém legal, mas perde tempo com os caras errados. De nada adianta acordar cedo para fazer escova no cabelo, mostrar-se divertida, não alterar o tom da voz e armar mil estratégias com as amigas para se aproximar dos caras, eles simplesmente não dão a mínima para ela. No divã, Pri descobre que talvez não sejam os caras os errados, mas ela mesma. Começa então um processo de mudança na forma de encarar a própria vida, livre de mágoas e de esperas fantasiosas.



 Eu sei que estou um pouco velha para ler livros de crianças/adolescentes, mas o que posso fazer se gosto de recordar, reviver, relembrar e “re-apaixonar”? E além do mais, quando somos leitores não temos idade definida, podemos ser quem quisermos e nos aventurar onde nos traz felicidade. Por isso gosto dessa literatura e gosto mais ainda de compartilhá-la.

 O livro “Só gosto de garoto errado” da autora brasileira Laura Conrado surgiu de um pedido. Ela já é conhecida com outros dois livros voltados para a faixa etária adulta, “Freud me tira dessa!” e “Freud me segura nessa!”, e por fazer sucesso, uma adolescente pediu que fizesse livros da mesma temática, mas para a galerinha da fase difícil chamada adolescência. A autora gostou do desafio e criou a série “Freud, me tira dessa! Teen #1”.

 O primeiro livro da série é tudo que um adolescente é. Tudo mesmo: intenso, problemático, sonhador, teimoso, alegre, espontâneo, livre e com uma energia imensa. Mostra como tornamos um probleminha pequeno num problemão enorme, como demoramos a perceber as coisas por causa da imaturidade, como se desenvolve as grandes amizades da vida e como o amor da sua vida não é o príncipe encantado. Essa história mostra como deixamos de ouvir para falar, como não escutamos conselhos (pelo menos não de quem devíamos) e como a vida passa rápido.

 É uma história de amigas que passam o tempo todo com os conflitos, dores, amarguras, incertezas, sorrisos, vitórias, fracassos, arrependimentos e amadurecimentos típicos dessa fase da vida.  Tem um diálogo rápido, gostoso, engraçado e fácil. Mostra exatamente a linguagem e dinâmica da adolescência.

 Indico porque além de ter me tornado fã da autora, tenho certeza que a galerinha dos 14 aos 18 vão se ver nesse livro. As meninas principalmente. Vão ver que não são únicos no mundo, que esses problemas são típicos da idade e que viver é mesmo uma grande aventura. E os que já não forem adolescentes, é uma leitura para lembrar como foi o seu passado, a construção de quem você é, rir muito das loucas histórias passadas e repetir muitas vezes: “Isso já aconteceu comigo”, “Isso eu já fiz”, “Isso eu já falei”, “Minha amiga passou por isso”. 

 Aproveitem a dica principalmente rir muito. Afinal, quem já não gostou do garoto errado?





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

Viagens literárias: Mergulho no mar