Domingo Zen - Dia 03 - Mantendo o foco

Bom dia Domingo Zen!!!!!!
Mais um dia com novidades para você.
Hoje vou citar sobre um livro que admiro muito, mas que poucos já leram. Comer Rezar Amar de Elizabeth Gilbert. E já vou dizendo, o livro não é igual ao filme que vocês assistiram, e que não gostaram  rsrsrsrs.
“ Os deuses gostam do críptico e desdenham o evidente” – O melhor que podemos fazer em relação a nosso mundo incompreensivo e perigoso, portanto, é praticar o equilíbrio interno, por maior que seja a insanidade que exista do lado de fora. 
Upanishads

TURISMO VERDE
 Toca do Coelho – Serra do funil (Rio Preto – MG)

Lugar lindo de bonito e supertranquilo para desfrutar com os amigos e com a família. Fora também, as pessoas que lá frequentam que são lindas de bonitas também rsrsrsr. Com belas quedas d´agua, cachoeiras limpas e beleza rara. Do ponto de partida de uma subida que vai até as cachoeiras, uma próxima da outra. E em cada uma delas você vê pedras em formas de bichos, como o leão, jacaré, cobra etc. Vale a pena conhecer!!!!


ZEN NO CONHECIMENTO
Resenha do livro Comer Rezar Amar, de Elizabeth Gilbert
O livro não é igual ao filme.
Apesar de quê, quem lê o livro, depois vai querer assistir o filme.
O livro se divide em três viagens, no mundo e dentro de si:
Itália – em busca do prazer (Comer)
Índia – em busca da devoção (Rezar)
Indonésia – em busca do equilíbrio (Amar)
Não são muitas das pessoas que tem o interesse em ler este livro, até porque não gostaram do filme. Mas nos depoimentos de pessoas que leram, se identificaram muito com suas vidas pessoais e espirituais. Elizabeth Gilbert narra a passagem da vida dela, desde o caos de um casamento desfeito até seu equilíbrio com o mundo que o cerca.
Todos os seus relacionamentos sempre foram um fracasso, porque ela não estava no seu “eixo”. Descobre um Deus que habita dentro de nós, que nos orienta, que nos aquieta para assim poder amar. Amar de uma forma ampla. Amar com o coração, amar com os olhos, com o olhar, com as mãos. Amor de Deus, que não sufoca, que não julga, que é libertador. Que ela, esvaziou-se toda por dentro, para que a sabedoria, o silêncio e uma força inabalável pudesse entrar e permanecer. Mas para que permaneça, deve –se estar em prática todos os dias. Ela aprende através da meditação, do controlar seus pensamentos para equilibrar sua vida. Tudo em excesso é ruim, tudo! E o equilíbrio é a corda que te mantêm  no “meio”. Este é o ponto da felicidade. E Elizabeth chega até este ponto, e conhece alguém para amar de verdade, mas que não se perde, mantém–se em seu ponto vital, pois aprendeu a aguardar, sem se precipitar, não é mais ansiosa. E com isso pensa que um “alguém” em sua vida, pode tirar o seu equilíbrio e sente medo. Mas Ketut, seu guru diz: “perder equilíbrio por amor, faz parte de se equilibrar”.
O livro é fantástico! Tenho o livro todo marcado, registrado com frases perfeitas sobre o ser humano, sobre nós nesse mundo louco, sobre a fé, sobre Deus, sobre a natureza que nos cerca, sobre o amor. E o relacionamento que ela vive no final do livro, era para se esperar... ela seguiu um caminho de sabedoria, de felicidade e de uma vida saudável – merecia isso no final. Ela estava equilibrada com ela e com o mundo, ela atraiu esta pessoa na mesma sintonia que a dela.
“ Você precisa de alguém para acabar com a seca. Precisa encontrar alguém que faça chover.”
Richard do Texas        





CEM INICIATIVAS
Outras receitinhas reaproveitando os alimentos:
CASCA FRITA DE BATATA
INGREDIENTES:
Casca de batata
Óleo para fritar e sal.
MODO DE PREPARO:
Lave bem as cascas e frite em óleo quente.
Tempere com sal.

PATÊ DE TALOS DE LEGUMES
INGREDIENTES:
03 colheres de talos de beterraba e de espinafre
01 copo de ricota ou maionese
MODO DE PREPARO:
Bata tudo junto no liquidificador.
Antes de servir, deixe gelar.


*******


Hoje vamos falar de COCÔ.
Isso mesmo, do número 2.

Do cocô ao calor.

Mais de 200 casas da cidade de Didcot no Reino Unido, mantêm seu sistema de calefação funcionando graças ao que vai para a privada. É isso mesmo, todo o cocô dos moradores é direcionado para uma estação de tratamento onde ele é separado e convertido em gás (sem odor, claro!) para poder alimentar os radiadores de calefação instalados nas residências. Utilizar nossos próprios resíduos como combustível não é algo novo, é verdade – há indícios de mais de um século de que chineses e outros povos usavam o “número 2” para produzir energia. Mas o projeto de Didcot é uma prova de que é possível construir um sistema integrado de geração de gás e energia em grande escala através do cocô – uma energia limpa, sim, e totalmente renovável, já que a gente não para nunca de fazer as necessidades fisiológicas, né?!
Uma praça cuja iluminação é toda mantida graças aos detritos que os cães deixam por ali, essa praça existe e fica na cidade de Cambridge, nos EUA. Pensando numa forma de dar um fim sustentável aos resíduos animais, Mazzotta desenvolveu um sistema com um grande tambor de ferro onde o cocô dos bichos é jogado e misturado, permitindo que as bactérias possam fazer a decomposição dos resíduos e liberar gás metano. Esse gás, que depois é canalizado, é distribuído por todo o parque, onde é usado para manter a chama dos postes acesas, as luzes.
  

Esse sistema aqui no Brasil é conhecido como Biodigestor. É um reservatório onde se coloca a biomassa misturada com água. É no seu interior que acontece a fermentação da biomassa, dando origem ao biogás. Gerador de gás de cozinha e energia elétrica. 


Temos um bem igual a este no bairro São Francisco em Valença, no Projeto Onça Pintada, mas que infelizmente o responsável em instalar nunca mais apareceu...
 Seria uma economia muito boa para toda a população do planeta!
TRONO MAIS VERDE : Lembrando-se também das privadas que estão ficando mais sustentáveis. Os fabricantes estão criando privadas mais verdes, como o sistema a vácuo. Suga os detritos e os joga no esgoto – praticamente a seco. Por isso, consome apenas 0,8litro de água a cada uso, 10 vezes menos que um vaso comum. A energia para produzir o vácuo vem de painéis solares. E temos também a descarga que não puxa tanta água para dar a descarga do vaso como as comuns que existem. Vem com 2 botões de uso, um para descarga de xixi e outra para descarga de cocô. Formidável!!!!!!

Um abraço e um olhar verde pra você!
Roseane Xisto






Fontes: Google
             Rafael Tonon, da Revista Vida Simples.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

Viagens literárias: Mergulho no mar