A Lista de Brett



"Você está chateada por ter fracassado? Bobagem. Quando foi que você decidiu que tinha de ser perfeita?(...) em algum lugar ao longo da estrada, você perdeu a ousadia. Aquela garotinha feliz que adorava contar histórias, cantar e dançar se tornou ansiosa e insegura (...) Acredito que uma forte emoção, até mesmo nascida do medo e da ansiedade, seja bem melhor que uma vida de banalidades. Eleanor Roosevelt certa vez disse: 'Todos os dias, faça algo de que você tenha medo'. Continue se obrigando a fazer coisas que lhe dão medo. Assuma os riscos e veja onde você aterrissa, pois são eles que fazem a jornada valer a pena."
A lista de Brett, pág 73



Não vou falar muito desse livro. Porque é muito, mas muito bom!  Não há como falar demais...a história tem um enredo simples e se não tivessem me indicado, talvez eu nem  iria ler. Brett perde a mãe e se prepara para herdar o império da mãe. Mas, na leitura de testamento, uma surpresa: Brett só terá direito a herança se cumprir itens de uma lista de seus sonhos, feita quando tinha 14 anos e que acreditava ter ido para o lixo.

O charme do livro está nos detalhes, nas surpresas, e principalmente, no grande talento da autora para poetizar situações cotidianas.

A lista de Brett nos faz repensar um pouco sobre tudo: família, amor, amizade, esperança, sonhos, desigualdade social, maternidade, morte, nascimento,...ufa...um verdadeiro turismo emocional nos levando há pontos que certamente já esquecemos o quanto é importante para nossa alma!

Mais do que indicado. E garanto que você não vai fechar o livro da mesma forma como abriu; seu coração vai passar por incontáveis reviravoltas. Confesso: Em alguns momentos, senti meu coração apertar  chorei de emoção incontáveis vezes. Esse livro me pegou da primeira à última página.





     

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde