Até você ser minha - Samantha Hayes



                “O mundo de repente ficou espelhado, novo, perigoso – de modo algum refletindo tudo o que eu tentava ignorar. As sensações que eu tinha não permaneceriam ocultas para sempre.” 
(pág 113)

                Este é mais um dos livros que me deixou acordada a noite inteira lendo. Comecei num dia, à noite e só parei porque realmente estava cochilando. Mas até sonhei com o livro. No dia seguinte, voltei a ler e fiquei a noite  toda ali, ávida pelo desfecho, que foi surpreendente e maravilhoso.

                A história é narrada por 3 mulheres: Claudia, Lorraine e Zoe. Claudia é assistente social, casada e se encontra na melhor fase de sua vida: está grávida e finalmente, conseguindo levar a gestação até o fim. Após vários abortos espontâneos, dessa vez tudo está indo muito bem e faltam poucas semanas para segurar sua sonhada menininha nos braços. Tem uma personalidade edílica e sofrida. Vive com o marido e os dois filhos gêmeos dele.

Lorraine é uma policial muito competente e obsequiosa, que investiga, junto com o parceiro Adam, alguns crimes muito peculiares. É mãe preocupada e uma esposa ávida para compreender as atitudes do marido.  E Zoe é uma pessoa agradável e leniente. É enigmática, atulhada de segredos e tem uma estranha ligação com uma pessoa.

                “Cada bebê traz consigo seu próprio amor para o mundo. Essas sensações não vão durar muito.” (pág 313)

“O mundo passa a se mover em câmera lenta enquanto ela arrasta toda a nossa história atrás de si.”

                A vida das três se entrelaça. A ligação entre Zoe e Claudia, é reconhecida logo  no início do livro, uma vez que Claudia precisa de alguém que a ajude e Zoe passa a ser a babá dos gêmeos. Mas confesso que fiquei uma boa parte do livro imaginando como a vida de Lorraine se encaixaria na dessas duas. E posso garantir: é algo muito diferente de qualquer coisa que possamos imaginar. O destino das mulheres se cruza em pontos inimaginágeis.

                “Não consigo confiar no destino.” (Pág 23)

                É o tipo que livro que não dá pra largar. A escrita é agradável, personagens apaixonantes muito intrigante.

                “A casa emanava dor, mas ela a combatia com uma dignidade que a fazia parecer fria, porém, totalmente corajosa.”(pág 237)

                Com certeza, um livro 5 estrelas. Acabei de ler com aquela sensação de querer que todos leiam, para que eu possa conversar sobre o assunto com todos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde