Desafio do Livro Indicado - Dia 2 - por Roseane Xisto (Métrica)



Métrica, de Cooleen Hoover, nos apresenta uma leitura bem suave em suas palavras. Abordando sobre perdas de entes queridos e entendimentos, onde fala –s e da morte com um toque diferenciado. Muita coisa seria evitada se ao menos tivéssemos preparados, aceitando o inevitável, feito planos, compreendido que não se trata apenas da vida da pessoa que está morrendo e sim também das que estão ficando. E com um toque especial,  é também falado sobre poesias.
“ Quero mostrar a vocês porque devem escrever poesias.” Página 227

No livro, conhecemos Lake, uma garota que perdeu seu pai há 6 meses, e para que possam conseguir se sustentar financeiramente, sua mãe muda de emprego, levando ela e o irmão mais novo a se mudarem do Texas, sua cidade natal que continha todas as lembranças do seu pai, para Michigan. Ainda de luto pela perda do pai amado, um pouco revoltada com a mãe pela decisão da mudança, Lake chega na sua nova casa triste, porém fazendo sua melhor cara de forte, para animar o irmão e a mãe. Mas então tudo muda quando ela conhece Will.
Will é seu vizinho e tem um irmão da idade do seu irmão menor. E eles logo se tornam dois melhores amigos, que vivem brincando juntos e por causa da amizade dos seus irmãos, Will e Lake se aproximam, e não é nada daquele tipo de aproximação literária forçada: avassaladora e insana a primeira vista. Eles se aproximam com conversas, com olhares, com pequenos encontros na porta de casa, com idas ao supermercado… e quando você percebe, você também já está envolvida na história dos dois.
Conhecemos a dor de Lake e ficamos logo animados para que ela se relacione com alguém que possa trazer um pouco de felicidade e leveza a sua vida, mas quando conhecemos a verdadeira história de Will, percebemos que a dor dos dois é muito semelhante e que de leveza a vida de Will não tem nada. O livro não tenta diminuir a dor, ou nos ensinar a nos acostumarmos com a dor, ou a acreditar que se fizermos coisas boas, só coisas boas vão acontecer com a gente. Porque na realidade, isso não acontece.
Will com toda sua generosidade passa para nós leitores e na trama da história, o real sentido de escrever poesias. E fala suas poesias slam, nos mostrando o sentido de muitas coisas escondidas entre linhas, entre versos, através dos sentimentos ou das dores das pessoas, então começamos a perceber o real valor da vida, onde cada frase faz sentido para quem está ouvindo, não importando o tempo que foi escrito. Podendo ser para o agora ou como para daqui a 10 anos... É para isso que escrevemos poesias.  
POESIA SLAM  são encontros de poesia falada e performática, geralmente em forma de competição, onde um júri popular, escolhido espontaneamente entre o público, dá nota aos slammers (os poetas), levando em consideração principalmente dois critérios: a poesia e a desempenho. Resumindo, o slam é o "esporte" da poesia falada.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde