Desafio do Livro Indicado - Dia 3 - Por Pit Larah (O Vestido de Noiva)



Esse sim foi um desafio! Por diversos motivos pessoais, fazer com que eu lesse esse livro, foi um senhor desafio!
No início, tive muita resistência por perceber que se tratava de um livro cristão. Mas com o tempo, fui sendo surpreendida, não apenas pela história, mas por perceber que mesmo com aquele plano de fundo religioso, que eu discordo completamente, o livro se mostra tão interessante!
Inicialmente, as histórias de Charlotte e Emily são alternadas. O narrador interrompe a história de uma e inicia a história da outra, o que torna o livro curioso e faz com que, nós leitores, fiquemos cada vez mais envolvidos e interessados.
Emily é uma mulher de 1912, muito à frente de seu tempo. Prestes a se casar com Phillip, reencontra seu grande amor Daniel que desiste de sua carreira de atleta para se casar com sua amada. Porém, quando retorna, se depara com o noivado de Emily.
Charlotte, é uma mulher dos tempos atuais. Ela nos é apresentada enquanto estava noiva de Tim, mas logo, ele termina o noivado, cedendo à incertezas que habitam o coração de ambos.
Aos poucos, percebemos que o que faltava no relacionamento dos dois, era o convívio e a amizade! Porque Tim, mesmo não duvidando do amor que sente por Charllote, se sente inseguro quanto ao futuro dividido com uma mulher que se tornou sua noiva depois de 2 meses de namoro.
Charlotte é uma mulher delicada e romântica, que não possui família. Órfã de mãe e nunca soube do paradeiro de seu pai.



Por motivos misteriosos, Charlotte se encontra com o noivado terminado e dona de um baú com o trinco soldado que, sem saber o motivo, ela comprou em um leilão.
Quando Tim, seu ex noivo, a ajuda a abrir o baú, eles encontram um vestido de noiva novo e reluzente, e a partir daí, a vida de muitas pessoas é transformada!
Tim e Charlotte saem em busca da história do vestido. Sempre amparada por sua amiga Dixie, Charlotte encontra força para ir atrás de todas as noivas que se casaram usando o vestido misterioso!
E então, 4 mulheres têm seus destinos cruzados por causa do vestido. Histórias são reveladas e a vida de Charlotte passa a ter um sentido completamente diferente do que ela acreditava.
A narrativa é limpa e clara e o desfecho é muito bem costurado. Recomendo a leitura por trazer diversas reflexões e por ser tão instigante!
A autora desenvolve a história com doses de romantismo sem transformar tudo em uma leitura melosa e chata!
Uma história que fala de fé, feminismo, feminilidade e igualdade e também de amor.
Os pontos fracos do livro, se encontram na construção dos personagens, que ao meu ver, poderiam ser mais fortes! Mas compreendo que neste quesito, o livro foi totalmente afetado por seu lado religioso.
Apesar de Emily ser uma mulher à frente de seu tempo poderia ter sido melhor trabalhada e mais forte, para suscitar um maior envolvimento e admiração de nós leitores com sua história. Porém, muitas vezes Emily parecia ser apenas uma menina mimada e boba!
Isso não anulou nossa angústia ao conhecermos o mundo em que ela vivia, um mundo machista e preconceituoso que nos lembra de uma história árdua sobre a liberdade das mulheres, o direito ao voto, e as escolhas que deveriam estar sempre aliadas ao bem familiar e aos interesses sociais, a lei dos “iguais, mas separados”, onde podemos ver o preconceito racial de forma explícita!
Charlotte também poderia ser mais forte! Aparentando ser uma mulher independente, percebemos que se tratava de uma mulher insegura e sem determinação!
Tim, que teria tudo para ser um homem sedutor, não passou de um homem egoísta e imaturo! Os sentimentos que envolviam Charlotte e Tim, poderia ter sido mais intensos!
Os valores religiosos influenciam diretamente no enredo (o que era de se esperar), batendo de frente com várias convicções pessoais, que com certeza influenciaram muito meus Sentimentos Literários.
De forma geral, apesar desses pontos baixos do livro, causados exclusivamente por seu cunho religioso, considero uma leitura válida e gostosa. Que me mostrou um universo diferente e algumas vezes, que explicam muitas lutas que ainda temos hoje em dia.
Em um mundo onde ainda o preconceito racial ou de gênero, bate à nossa porta, 1912 não está tão distante! Conhecer esse mundo e as mazelas causadas por valores religiosos, onde mulheres são cada vez mais cobradas, O Vestido de Noiva, nos revela toda essa carga que carregamos há tantos séculos. Regras como castidade antes do casamento, submissão feminina, interesses matrimoniais, divisão por raças... nada disso deveria ainda ter valor! Porém, vemos isso o tempo inteiro! Pessoas que se curvam por valores ultrapassados e preconceitos enraizados.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

Viagens literárias: Mergulho no mar