DESENCANTO

Oi, gente! Temos mais uma colaboradora no Blog. Essa é a estreia da Eliza Alvernaz na QUARTA CRÔNICA. 
Quem quiser conhecer melhor essa blogueira, Clique aqui!



As noites têm sido frias, longas e silenciosas. O que me falta em sono, transborda em pensamentos. 
Não é segredo o quão ‘superlativa’ sou. Mas confusões emocionais não são positivas, tampouco me refletem.
Tenho visto minha praticidade escorrer pelas mãos. Segurança e autoestima dão lugar ao medo e à certa timidez, até então escondida.
Um novo amigo me desconserta. Um velho, desconhece!
O passado insiste em se fazer presente, mas tornou-se um infeliz figurante. O desconhecido, cada dia mais intrigante!
Atitudes anulam encantos. O desencanto se faz de forma nauseante! 
O tempo vem deixando lacunas que já não são fáceis preencher. 
A noite traz o que falta de sentido no dia... Leva certezas e serenidade. Deixa dúvidas, e uma inquietação sufocante!
Pergunto-me se a escrita deixa tudo perceptível, ou se são apenas sílabas soltas, numa exposição 'frustrantemente' poética!
Se há tanto em mim, tem que haver ainda mais para quem recebe. Ou não valerá o que promete!
Busco motivos, mesmo sabendo que o melhor da vida é não tê-los. 
Para quem nunca acreditou em Contos de Fadas, e sempre considerou inverossímil um “felizes para sempre”, tenho me surpreendido com desejos e fantasias habitados em mim.
A velha razão parte, aos poucos, conceitos certa vez consolidados. Desconstrói certezas utópicas, deixando em seu lugar um infinito de novos prismas.
A instabilidade favorece os sonhos, e a madrugada, os delírios!





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

Viagens literárias: Mergulho no mar