A febre dos livros para colorir!


Oie!!!!
Estava assistindo a uma matéria do Globo News Literatura e resolvi falar sobre o assunto, já que também estou entrando nesse universo dos livros de colorir. 
Não é uma novidade para mim, porque sempre tive o hábito de colorir com minhas filhas, seja nos livros de pinte igual (que nunca pinto igual), ou nos desenhos que imprimimos da internet.
Entre princesas e desenhos infantis, vira e mexe estou exercitando a hipnótica arte de colorir.
Porém, nunca pensei nisso como uma forma de substituir minhas leituras e é exatamente isso que me preocupa nessa moda. 
O mercado editorial e os livreiros, estão confusos! Ninguém entende o porquê o estrondoso sucesso.
Se pensarmos com otimismo, os livros de colorir atrairão novos leitores. Alguns críticos literários acreditam que quem se interessa por esses livros, estão a um passo de se interessarem ou retornarem à busca pela palavra.

Tento atribuir esse interesse, ao fato de sermos uma geração de pessoas que são bombardeadas por informações a todo o tempo. Estamos exercitando cada vez mais nossa habilidade crítica e assim, ao sermos estimulados a pensar, sentimos a necessidade de transmitirmos nossos pensamentos de alguma forma. Seja concretamente (enchendo os feed de notícias com desabafos ou mensagens de autoajuda) ou abstratamente (colorindo).
Através das cores deixamos nossa marca! Passamos uma mensagem de quem somos e estamos construindo marcadores para nossa história.
Nossa necessidade de sinalizarmos quem somos, se alardeia desde os primórdios, quando nossos antepassados deixaram registrados nas paredes quem eles eram. A arte rupestre é a prova que sempre quisemos nos comunicar com as gerações futuras e com quem iremos nos transformar! Queremos nos lembrar de quem fomos e onde estivemos e o livro de colorir, em minha humilde opinião, tem essa função! Levar para o papel, através das cores, quem somos e o que pensamos!

Os dados não mentem que trata-se de um sucesso!
As vendas nas livrarias tiveram um aumento de 10,7% em comparação com o mesmo período do ano passado. 
O livro Jardim Secreto foi lançado em Novembro de 2014 e já vendeu 400 mil exemplares, enquanto Floresta Encantada, lançada em Abril de 2015, já vendeu 300 mil. Os dois livros são da designer escocesa Johanna Basford e são distribuídos no Brasil pela editora Sextante. 

Quem se interessar pela matéria do Globo News Literatura, clique aqui e veja a matéria completa.

O lance é se divertir e se sentir conectado consigo mesmo!
Eu não abro mão das palavras. Quero lê-las e escrevê-las, mas também quero colorir!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde