Segunda poética das mães...



Para comemorar o dia das mães, trouxe a vocês amigos e leitores um pouco de poesia através de palavras e imagens... Dizem que mãe é uma só, e é mesmo, mas, ao mesmo tempo, podemos ter várias “mães” pela vida afora... Aquela que nos trouxe ao mundo; aquela que nos criou; aquela que nos deu amor incondicional... Vejo amigas sendo mãe, avós sendo mãe, mulheres que nunca tiveram filhos sendo mãe... Que aqueles filhos e filhas que não receberam o amor da “mãe” genitora possam reconhecer suas mães – porque, sim, costuma-se ter várias – e que possam não guardar mágoa, porque mãe é instinto; mãe, acredito, é algo muito maior do que compreendemos; é uma força da natureza que nos trouxe ao mundo para uma experiência incrível. A todas as mães – genitoras ou do coração – feliz feliz dia das mães... Curta sua mãe, abrace-a, beije-a, deixe que ela te corrija, te repreenda, te eduque... Te ame.



Para sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade



 UM FELIZ DIA DAS MÃES...











Imagens: google


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde