Desafio 642 - Tema 114 (A maneira como as coisas deveriam ser.)



É claro que eu adoraria ser capaz de inventar uma forma de controlar o tempo, a vida e todo esse universo particular que vivo intensamente!
Eu gostaria que o céu fosse da cor que eu escolhesse e que acompanhasse o meu humor!
Que permanecesse cinza quando eu não estivesse disposta para encarar essa hipocrisia humana, e que abrisse um lindo céu azul nos dias em que o otimismo invadisse minha alma e me fizesse sentir que seres humanos valem a pena.
Eu gostaria de controlar minha vida, como se eu fosse o domador de leões que aparento ser!
Quando na verdade, sou apenas uma menina chorosa que sabe disfarçar bem as dores que guarda no peito, apesar desse sorriso morno que a sociedade precisa que eu ostente!
Eu tenho éticas que são tão minhas quanto todo esse conhecimento e desconfiança que
reguei dentro de mim!
Poucos sabem o que penso, mas adoram especular!
Poucos sabem da minha coragem, mas arriscam em testá-la!
Os limites que construí, somente eu sei quais são!
E as pessoas fazem seu papel, em tentar me decifrar!
Em tentar despedaçar o mundo que estou colorindo, e os ideais pelos quais estou lutando!
Eu gostaria de poder fazer mais!
Gostaria de permanecer no caminho da esperança, mas admito que às vezes preciso desviar-me por um tempo, para conseguir manter minha sanidade!
Eu volto, mesmo sabendo que as coisas nem sempre saem do jeito que eu planejo, do jeito que eu desejo... eu volto e recomeço esse trajeto em caminhos que poucos acreditam que conseguirei trilhar!
Mas são caminhos de esperança, que me colocam um foco para conseguir lutar!
Não sei qual é a maneira como as coisas devem ser, mas pelo menos desconfio!

E é essa desconfiança que por vezes me arruína! Me arranca lágrimas de frustração e me coloca no desassossego, mas é ela também que me move e me encaminha aos horizontes desconhecidos, que pensei serem os que planejei, quando na verdade, brotaram dessa incerteza que se disfarça de esperança e me carrega para o lugar em que eu queria estar!

Pit Larah



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

Viagens literárias: Mergulho no mar