Apenas é ela!



Ela não é do tipo de pessoa que fala bonito sempre, aliás acho que ninguém é assim mas enfim, ela não é do tipo de pessoa que sabe o melhor a falar em cada hora. Ela é apenas uma adolescente inconsequente que muitas das vezes não mede a altura de seus atos, suas palavras são apenas sentimentos soltos que não consegue demonstrar verbalmente ou até mesmo fisicamente. Ela não é aquele tipo de pessoa que fala um “eu te amo” todo dia mas sim aquela que te surpreende pelo simples fato de ser autêntica e digamos assim espontânea quando quer. E não é dessas que fica puxando saco alias ela não desceria a tal nível pra ter algo em troca. Ela diz não ser interesseira mas como todos que nesta terra habitam acaba sendo, mesmo que só um pouquinho. Aquele tipo de garota carente que se apaixona por sorrisos, gestos e até mesmo palavras ditas sem sentimento algum busca refúgio dentro de si mesma quando se sente ameaçada pelo mundo, não é dessas que vive falando de quantos quilos quer perder ou qual foi o último esmalte que usou  ela prefere sentar-se numa roda de garotos comendo hambúrguer e falando de futebol. Ela não está nem ai se está de maquiagem ou com o cabelo arrumado ela coloca apenas uma roupa normal e que se sinta bem junto com o tênis batido. Ela prefere muito mais ler o jornal do que uma revista de fofocas, ela tem sonhos como qualquer outra mas consegue ser diferente pelo simples fato de sonhar do jeito dela, sejam eles grandes ou até mesmo pequenos. Ela não gosta de ser criticada mas quando não é, estranha e, ela dá a cara pra bater, dá mesmo. Sem medo do peso do chicote, que é a língua alheia e o olhar dos mais velhos. E também não fica quieta em nenhuma circustância esteja ela certa ou errada, ela simplesmente fala, dou a quem doer, e ofenda a quem achar que o recado foi pra si mesmo. Mas no fundo ela ama, a se ama, ama muito e com todas as suas forças e ela pode não demonstrar sempre ou talvez nunca, mas ela é uma das que mais sentem!  E vai continuar sentindo sem demonstrar, falando sem pensar, rindo na cara da tristeza porque finalmente reconheceu que se ela não alegrar os que estão a sua volta o mundo deles ficará sem graça, porque cada um tem uma função e a dela é simplesmente ser ela mesma, que já estará bom! E a vida vai seguindo o seu curso natural, com altos e baixos, quedas, atritos, ganhos e perdas, idas e vindas, até que alguém perceba que assim que tem que ser e se toque, porque ai amigo, HÁ, o negócio vai ficar feio, porque vai ter muita gente querendo mudar o caminho do rio e talvez não passemos mais pela cachoeira que o autor comentou na primeira estrofe da nossa história, e aí vai ser contar com uma vírgula errada no meio do paragrafo para nos alinharmos de novo na vida ou filme como preferir.








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde