Quando estou só, existo na dimensão de mim mesmo





Eu estou só.
O gato está só.
As árvores estão sós.
Mas não o só da solidão: o só da solistência.

João Guimarães Rosa

 Solidão

Mia Couto
Aproximo-me da noite
o silêncio abre os seus panos escuros
e as coisas escorrem
por óleo frio e espesso

Esta deveria ser a hora
em que me recolheria
como um poente
no bater do teu peito
mas a solidão
entra pelos meus vidros
e nas suas enlutadas mãos
solto o meu delírio

É então que surges
com teus passos de menina
os teus sonhos arrumados
como duas tranças nas tuas costas
guiando-me por corredores infinitos
e regressando aos espelhos
onde a vida te encarou 



Solidão que Nada
Cazuza
Cada aeroporto é um nome no papel
Um novo rosto atrás do mesmo véu
Alguém me espera e adivinha no céu
Que meu novo nome é
Um estranho que me quer
E eu quero tudo
No próximo hotel
Por mar, por terra, ou via embratel
Ela é um satélite
Que só quer me amar
Mas não há promessas não
É só um novo lugar
Viver é bom
Nas curvas da estrada
Solidão que nada

 Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite. Que minha solidão me sirva de companhia. Que eu tenha a coragem de me enfrentar. Que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo.

Clarice Lispector

A natureza da solidão é desafiadora. Alguns atos, dos mais profundos, vêm da solidão. Mas não é essa solidão de se excluir ou ser excluído, essa solidão triste que acaba fazendo companhia para a depressão; não, não. Falo da solidão pura e simples, estar só, estar se ouvindo, sentindo a vida passar por cada parte do seu corpo; estar se autoconhecendo, sem medo nem pudor. Nos momentos de maior silêncio é que costumamos nos ouvir e ouvir os outros também. Não é uma regra que sempre temos que estar acompanhados (marido, esposa, amigo, colega, celular, rede social...) Não devíamos ter medo de estarmos sós: escutar o nosso coração; contemplar o mundo; compreender o outro; ler; escrever; ou simplesmente estar só. A natureza da solidão é desafiadora porque nos coloca frente a frente com nós mesmos: se estamos bem, somos uma boa companhia, inclusive para nós. Mas ela também nos mostra se não estamos bem: aí é hora da reinvenção de si mesmo.
 Imagens: Google



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde