Poetas, apareçam!

            Estive reparando nas pessoas. A grande maioria anda apressadamente, olhar fixo, às vezes até rosto um pouco fechado. Param conversando na rua e comumente falam seus problemas. Ou fingem que não tem nada de errado e escondem um oceano de preocupações atrás  um sorriso forçado. Se alguém faz algo que não seja exatamente o que querem, já é motivo para detonar e falar muito mal. Na maioria das vezes, sabem exatamente o que fazer da vida dos outros, mas não tem a menor idéia do que fazer das suas próprias vidas e comumente maximizam os problemas.
            As pessoas reclamam do dia; se está calor, reclamam. Se o sol brilha, pedem chuva, mas se chove...reclamam da chuva. Quem está magro se preocupa em engordar, quem está mais cheinho resmunga que precisa emagrecer. Se preocupam com dívidas, dúvidas, com o que as pessoas vão falar, o que vão pensar... Reclamam que falta dinheiro, falta amigo, falta amor, falta saúde, falta honestidade...mas sabe o que eu acho que realmente falta? POESIA!
            Qual foi a última vez em que você acordou e sentou para saborear um café? Sentir aquele cheirinho bom e trazer à tona boas lembranças. Quando foi a última vez em que você se olhou no espelho e pensou: “Uau! Que pessoa iluminada!” e se amou profundamente.
            Se você agora está pensando: “mas sou péssimo para escrever.”  Ou... “não sei externar meus sentimentos”...entenda que não fazemos apenas poesia escrita. Você faz poesia quando sorri com sinceridade para um desconhecido na rua. Quando abraça alguém com vontade. Quando beija carinhosamente. É poético ser grato. Se está chovendo, ao invés de resmungar, agradeça pela chuva. Se tem sol, olhe para o céu, respire fundo e sinta a energia invadindo seu corpo. O alto astral está no ar!
                Entenda...não vai parar de chover se você reclamar. Não vai cair dinheiro do céu se você ficar emburrado por causa das dívidas. As pessoas não vão parar de falar mal de você só porque ficou com raiva delas. A maioria dos seres humanos já se acostumou a falar mal. Mesmo quando elogiam, é comum ouvir: “Fulano tem seus defeitos, mas é tão bondoso!” Se é bondoso, então, ressalte a qualidade. Não precisa lembrar que tem defeitos. Todo mundo sabe o defeito de todo mundo. Faça a diferença...faça poesia...
            Ouça uma música e dance sozinho. Isso é poesia. Coma um doce saboreando o paladar. Beba água e sinta o quanto te faz bem. Beije sempre que possível e abrace fechando os olhos. Nada de abraços superficiais. Aperte, amasse! Sorria para desconhecidos. Dê gargalhadas quando tropeçar. Agradeça todas as gentilezas. Não espere um gesto grande para ser grato. Entenda que na vida, sua felicidade será muito mais composta de pequenos gestos diários do que grandes feitos uma vez ou outra. Lambuze-se com um sorvete. Ajude um animal que está sofrendo. Animais tem um dom todo especial de nos ensinar a fazer poesia.
            Na maioria das vezes, as coisas não sairão de acordo com o que queremos. Acostume-se com isso. Mas certamente, existe uma força mágica que fará tudo se encaixar com uma perfeição extrema. O problema é que perdemos tanto tempo reclamando que nada sai como planejamos, que não percebemos o arco-íris à nossa frente.
            E dessa forma, levamos a vida acumulando doenças. Ficamos profundamente mal com preocupações. Nos irritamos e trazemos coisas ruins para corpo e alma. No lugar da gratidão, embutimos resmungação. Corremos tanto para chegar a lugar nenhum. Vivemos sem tempo para alegrias simples, porque achamos que temos uma obrigação de fazer aquilo que não nos dá prazer, mas consideramos “politicamente correto.”
            Sabe o que é correto? É amar, é cuidar. É ser feliz. É não enganar, não machucar nem os outros e nem você mesmo. Se o emprego está ruim...pare de reclamar e procure outro. Ou seja grato porque aquele é o que está te trazendo o sustento. Mas reclamar não vai melhorar nada. Se o amor não chega, faça poesia com a solidão. Conecte-se com você mesmo, conjugue o verbo agradecer e saia por aí poetizando a vida. Portas se abrem quando passamos a tentar abrir. Amores se aproximam quando você sorri.
            Claro que é necessário chorar também quando algo magoa fundo. É poesia em forma de lágrimas. Mas chorar todos os dias é insano. O importante é colocar poesia em tudo que você fizer. Ou pelo menos em quase tudo.
            Acredite...o mundo não precisa de mais dinheiro, nem de mais sábios...o mundo precisa de mais poetas! Seja um.
            

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

Viagens literárias: Mergulho no mar