O Pedacinho Perdido


Lembro daquele verão passado, em Verona, nós corríamos pelas ruas até chegar a Casa de Julieta, era o lugar mais esperado por nós, naquela viagem. Ah, aquela viagem. Como esquecer? Jovens perdidamente apaixonados em busca de um amor que não sabíamos se existia. Mas na dúvida, fomos criando algo dentro de nós, estávamos voando e, em determinado momento, caímos. Um dos meus filmes preferidos diz que "as vezes estamos tão focados em sair do chão, que não nos "importamos" com quem irá nos tirar de lá", não com essas palavras mas, é mais ou menos isso. E sempre que ouço essa frase ou algo parecido lembro de nós, o que aconteceu? Quando não se tem amor, você busca por qualquer sentimento que possa preencher aquele vazio, simplesmente se deixa levar pelas emoções, para melhor dizer, pela falta delas. Você acaba indo por um caminho sem volta, quer dizer, para voltar, é necessário se perder. E você pode começar um busca incessante por outras pessoas, festas e beijos mas, não vai achar nada que consiga unir todas as peças novamente, sabe aquele pedacinho pequeno que é necessário mas se perdeu? Esse pedacinho é você. Sabe, hoje depois de todos os acontecimentos, não acho que a vida seja engraçada, ela não é nada, ela apenas é. E a gente? E aquele verão? São apenas lembranças que gosto de citar como exemplo as vezes. É bom aprender com os erros e, não que você tenha sido um erro, você apenas não foi o meu acerto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - O segundo sexo

Feminismo, por Ayn Rand

A Noviça Rebelde